EXAMES

Conheça um pouco mais sobre os exames oferecidos pelo Instituto de Patologia do Norte de Minas.

EXAME ANATOMOPATOLÓGICO

O exame anatomopatológico, também conhecido como biópsia, histopatológico ou patologia cirúrgica, é realizado pelo médico patologista em fragmentos de tecido, material de biópsia ou peças cirúrgicas retirados por médicos ou dentistas. O material deve ser fixado em formol a 10% em frascos identificados com o nome do paciente. O volume mínimo de formol é de 10 vezes o volume da peça e deve cobrir todo o material. Nos casos de peças cirúrgicas complexas, o material deve ser entregue preferencialmente até 24 horas após sua retirada, e, devido ao tamanho e complexidade do órgão, precisa de maior tempo de fixação e processamento. O material passa por etapas sequenciais de processamento para obtenção de cortes ultrafinos (3 a 5 micrômetros).
Deve sempre ser enviada a solicitação médica/odontológica com as informações clínicas pertinentes para a interpretação dos casos. É de extrema importância citar o local do corpo de onde o material foi retirado. O IPNM mantém em arquivo o material já laudado (blocos de parafina e lâminas histológicas), pelo prazo legal determinado e o disponibiliza para o paciente, a qualquer tempo.
O IPNM não analisa material proveniente de animais (patologia veterinária).

EXAME COLPOCITOPATOLÓGICO – PAPANICOLAOU

Também chamado exame preventivo do câncer do colo do útero. Compreende a análise das células esfoliadas do colo uterino e/ou paredes vaginais.
A análise é realizada em amostras celulares em busca de células neoplásicas (citologia oncótica), células com sinais e infecção (papiloma vírus humano – HPV) ou agentes infecciosos (Candida sp, Trichomonas vaginalis, Chlamydia sp, entre outros).
Exige técnica adequada de colheita, com fixação imediata (álcool etílico 90% ou absoluto) e estreita correlação com dados clínicos. O material é depositado e fixado em uma lâmina histológica e submetido a processamento técnico, onde se inclui a coloração de Papanicolaou.
O médico citopatologista estuda a morfologia dos elementos celulares e do microambiente vaginal e a luz dos dados clínicos interpreta e registra os achados.
O laudo tem caráter presuntivo necessitando correlação clínica / colposcópica e ou estudo histopatológico, se pertinente.
A periodicidade do exame é determinada pelo médico ginecologista, conforme o que preconiza a Sociedade Brasileira de Ginecologia.
A paciente deve evitar duchas vaginais ou cremes vaginais prévios ao exame, fazer abstinência sexual nas 48 horas que antecedem o exame e evitar o período menstrual.
O material (lâminas citológicas) permanece em arquivo permanente e pode ser disponibilizado para o paciente, a qualquer tempo.

CITOLOGIA ESPECIAL

No exame citológico de líquidos, raspados e aspirativa de nódulos a análise é realizada em amostras celulares em busca de células neoplásicas (citologia oncótica), células com sinais e infecção (papiloma vírus humano – HPV, citomegalovírus – CMV, herpes simples, herpes zoster, células Decoy – poliomavírus) ou agentes infecciosos (Candida sp, Trichomonas vaginalis, Leishmana sp, Chlamydia sp, entre outros). Existem três categorias:
1- Raspados: uretral, de pênis, glande e prepúcio, vulva, anal e raspado de outras áreas ou lesões de pele e mucosas. Fixado em álcool 95% cobrindo todo o esfregaço.
2- Citologia de líquidos: urina, líquidos ascítico, pleural ou pericárdico, líquor, secreção mamária, escarro, lavado brônquico e broncoalveolar. Fixado em álcool 50% com volume igual ao volume do líquido.
3- Punção aspirativa de nódulo: tireoide, mama, glândulas salivares. Fixado em álcool 95% cobrindo todo o esfregaço.

EXAME IMUNO-HISTOQUÍMICO

O estudo  imuno-histoquímico complementa o exame anatomopatológico e possibilita ao médico patologista identificar, classificar e graduar a expressão de proteínas. O objetivo é tornar evidente no material de biópsia um antígeno específico (epítopo) utilizando-se um anticorpo primário através de reação química cromógena. Pode ser realizada em material de biópsia/ressecção cirúrgica ou líquidos e esfregaços citológicos, estes dependentes da avaliação prévia da amostra. O exame imunohistoquímico tem revolucionado a prática da Anatomia Patológica e, além do auxílio ao diagnóstico de diferentes tumores, a técnica tem permitido a identificação de diferentes tipos de marcadores (enzimas, receptores e produtos de genes), que estão relacionados ao comportamento biológico das neoplasias.

REVISÃO DE LÂMINA

A emissão de laudo de segunda opinião pode ser realizada com amostras enviadas (blocos de parafina, lâminas de hematoxilina-eosina, lâminas de citologia e lâminas de imuno-histoquímica), acompanhadas do laudo original. Todas as informações relevantes sobre o paciente e a indicação da revisão devem conter na solicitação.

CONSULTORIA EM ANATOMIA PATOLÓGICA

A equipe de médicos patologistas está sempre à disposição para discutir os casos com o médico assistente, compartilhando as decisões médicas, indicando novas biópsias, determinando complementação diagnóstica ou sugerindo tratamentos específicos.
Sempre estimulamos a troca de informações entre o médico assistente e o patologista, pois é parte fundamental na formulação de um diagnóstico preciso e confiável. O compartilhamento de exames de imagem e/ou laboratoriais é obrigatório em alguns casos.